Batalha de India Muerta(II): Sebastião Pinto Araújo Correia

Parte oficial do marechal de campo Sebastião Pinto Araújo Correia, comandante da Vanguarda portuguesa que combateu na batalha de India Muerta

Ill.mo e Ex.mo S.r

Em consequencia do Officio que recebi de V. Ex.a datado de 9 do corrente, dispouz a minha marcha da maneira indicada no meo Officio de 12, e marchando da Angostura no dia 16, e vim ficar no Passo de Castilhos, a onde se principiou a avistar algumas Espias, que me observavaõ das alturas que dirigem á Chafalote; e sindo eu informado que Fructuozo Ribeiro tinha o seu Campo no Saco do Alferes, julguei necessario reconhecer as suas forças, antes de avançar a Tropa athe Rocha; para o que pedi ao Brigadeiro General Pizarro, que marchasse athé ao Passo do Conselho com a sua Brigada no dia 17, e no dia 18, occupasse o Campo do Passo de Chafalote; mandando-lhe unir a Artelharia, hum Piquette de 60 Cavalos, e o Commissariado: Marchei coberto com este
movimento ao cerrar da noute do dito dia 17, com a Vanguarda do meu Commando, duas Companhias de Caçadores da 2.° Brigada, e hum Obuz, fazendo tudo a força de 957 homens entre Officiaes, e soldados, com direçaõ ao mencionado Saco do Alferes.

Ao amanhecer do dia 18, proximo á caza de Antonio de Souza, encontrei duas partidas inimigas que se retiravaõ de altura, a altura, observando miudamente a minha marcha e forças, e eu pude (encobrendo-lhes a Infanteria) chegar este mesmo dia á Caza de Manoel dos Santos na Costa do Arroio da India Morta.

No dia 19, pasado o referido Arroio, marchei athe á poziçaõ da Caza da Velha Velasques, fazendo bater Partidas, e Espiaens em maior força, que os antecedentes athe ao Passo de Manoel Patricio, onde cheguei as 11 horas da manhaã.

Ao meio dia duas partidas inimigas, huma de 50 homens, na minha frente, e outra de 140 no flanco esquerdo principiaraõ a aproximar-se á poziçaõ que eu ocupava e meia hora depois apareceu nas alturas da India Morta na minha rectaguarda o Corpo inimigo do Comando de Fructuozo Ribeiro que excedia muito de 2000 Homens a cavallo. Este Corpo tinha marchado toda a noite desde a Costa do Arroio de Alferes (onde tinha o seu Campo) pela Coxilha deste nome com o fim de atacar-me pela retaguarda; e estabelecendo-se na altura da Velha Velazque, postou ahi tres Companhias de Negros, que apeados protegiaõ uma Peça d’ Artelharia de Calibre 4. que para ahi trouceraõ.

Julguei entaõ conveniente deixar immediatamente a pozicaõ que occupava, e antes que o Inimigo mudasse de Cavallos attacar a sua linha que era extensa e ordenei para isto que os dois esquadroes da Cavallaria da Divizaó, e huma Companhia de Caçadores pasassem immediatamente álem do passo que ha entre as duas poziçõens, e sucessivamente o passou toda a força: sendo-me forçoso deixar no mencionado Passo, hum Destacamento de Caçadores commandado pelo Major M.Gregor para repelir as tentativas que ali faziaõ já as duas Partidas mencionadas: as quatro Companhias de Granadeiros, e o Obus commandados pelo Tenente Coronel Antonio Claudino Pimentel, marchavaõ com direcçaõ a Velha Velazque, os dois Esquadroes da Divizaõ, commandados pelo Tenente Coronel João Vieira Tovar á direita da linha, e o Major Jeronimo Pereira de Vasconcellos commandava hum Corpo de Caçadores, que formando a minha esquadra, era destinado a attacar a direita do Inimigo, sendo protegido pelos Esquadrões da Legião de S. Paulo, e Millicias do Rio Grande. As Cavalhadas de rezerva dos Esquadrões ficaraõ na retaguarda da columna do Comando do Tenente Coronel Antonio Claudino Pimentel com huma escolta da Cavallaria.

O inimigo principiou em toda a sua linha hum fogo activo, mas sem ordem, e manobrou com o fim de flanquear os Esquadrões do Tenente Coronel João Vieira Tovar, ao que ordenei o fizesse repelir por hum Esquadraõ: era antes necessario fazer marchar alguma Cavallaria para o Passo, que defendia o Major M.Gregor, e foi reforçado com 30 Cavallos.
O Inimigo que o atacava tratou de unir-se a sua direita, que principiava a diantar-se para envolver a minha esquerda, e mandei entaõ encorporar ao Destacamento do Major Jeronimo Pereira de Vasconcellos huma Companhia de Capadores, e lhe ordenei que fizesse avanzar toda a direita dos Seus Atiradores.

O inimigo fazia alguns tiros com a Peça que tinha, mas sem algum efeito, e o Obus da Columna do Tenente Coronel Antonio Claudino Pimentel fez tiros muito bons.

Mandei a este tempo atacar a Columna da esquerda pelo Esquadrões da Cavallaria da Divizaõ, que fizerão prodigios de valor, manifestáraõ nesta occaziaõ os Officiaes a mais acrisolada valentia: ao Tenente Coronel Antonio Claudio Pimentel mandei que com a Columna de Granadeiros do seu Comando ocuparse a poziçaõ em que estava a Caza, e que elle fez com a serenidade e firmeza, que naõ póde ser excedida em huma Parada.

Emquanto isto acontecia na nossa direita, o Combate se tinha tornado mui serio em toda a Linha e o lnimigo foi batido, e disperso em toda ella; fugio vergonhozamente athe o outro lado do Arroio da India Morta quazi a huma legoa de distancia do lugar em que començou a acçaõ, onde queria estabelecerse, e de que foi dezalogado, por tres descargas de mosquetaria do Corpo de Granadeiros, e naõ foi perseguido athe mais longe por causa do cangasso dos Cavallos, e fatiga da Tropa tendo durado a acçaõ 4 horas e meia.

Tenho o maior prazer em segnificar a V. Ex.ª o valor, e Sangre frio que brilhava nos semblantes dos Officiaes e o Serviço de Sua Magestade foi muito bem feito com a cooperaçaõ do tenente Coronel Antonio Claudino Pimentel, Official dos conhecimentos, bravura, e prestimo que V.Ex.ª reconhece, do Tenente Coronel João Vieira Tovar, do Major Jeronimo Pereira de Vasconcellos, do Major Manoel Marques de Souza Comandante dos Esquadrões de S. Paulo, e Millicias do Rio Grande que se comportarão maravilhozamente, como era de esperar do seu Valor, e disciplina do Capitao João Nepumoceno, que comandou os Esquadrões pouco depois da primeira Carga, por cauza das feridas do Tenente Coronel João Vieira Tovar, e da morte do Major Duarte de Mesquita, do 2.º Tenente d. Artr.’ Gabriel Antonio Franco de Castro q. dirigio o Obuz: e naã devo omittir dizer a V. Ex.ª o que Major Jeronimo Pereira de Vasconcellos, adoecendo gravemente na marcha a ponto de precizar ser conduzido numa Carreta, me fez repetidas instancias para hir a acçaõ, e comandou com sua costumada bravura a Tropa acima mencionada.

Sinto amargamente ter de levar ao Conhecimento de V.Ex.ª a rellaçaõ dos mortos, e feridos, q naõ he comparavavel á perda do Inimigo, que deixou no Campo, e no Arroio da India Morta perto de 200 mortos, perdeo huma Peça d’Artr.°, unica q tinha e muitas munições, armamentos, duas Caixas de Guerra, 250 Cavallos, e a correspondencia do Comandante Fructuozo Ribeiro, q naõ tornará a reunir os seus dispersos, e ficarão 30 prizioneiros quazi todos negros, os quaes afirmaõ que o numero dos feridos he consideravel, e en o calculo de 350 a 400 Homens: os mesmos prizioneiros,Dezertores, e Habitantes dizem q se naõ sabe de Fructuozo Ribeiro.

Estou muito obrigádo aos meus Ajudantes d’Ordens Antonio Maria de Lacerda, Francisco Pinto d’Araujo, e com particularidade a Carlos Infante de Lacerda, que lhe tocou exporse mais vezes, e q. sempre o fez foi de grande utilidade para o bom exito do dia: O Cirurgiaõ Mór Joze Pedro de Oliveira digno dos maiores éllogios, por ficar exposto em todo o tempo da acçaõ para poder ser util como foi, naõ principiando agora a ser incançavel no exercicio do seu emprego.

Sobre Jorge Quinta-Nova 73 artigos
Rato de biblioteca. Licenciado em Línguas e Literaturas Modernas na UAL, pesquisa desde 2007 o Exército Português nos finais do Antigo Regime, durante as Guerras Revolucionárias, principalmente Carlos Frederico Lecor, de quem anda reconhecidamente Em Busca. É um reputado amante da Medalha Militar, entre a fundação em 1863 e 1911.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*