Medalha Militar: Mérito Aeronaútico

A MEDALHA DE MÉRITO AERONÁUTICO destina-se a galardoar os militares e civis, nacionais ou estrangeiros, que, no âmbito técnico-profissional, revelem elevada competência, extraordinário desempenho e relevantes qualidades pessoais, contribuindo significativamente para a eficiência, prestígio e cumprimento da missão da Força Aérea Portuguesa.

O seguinte critério de atribuição aplica-se à concessão da medalha:

1.ª CLASSE: oficial general e capitão-de-mar-e-guerra ou coronel
2.ª CLASSE: capitão-de-fragata ou tenente-coronel e capitão-tenente ou major
3.ª CLASSE: outros oficiais e sargento-mor
4.ª CLASSE: outros sargentos e praças

DESENHO
ANVERSO: cruz de mérito aeronáutico, formada pela cruz de Cristo, de braços iguais, de cor vermelha, perfilada a ouro, tendo carregada, ao centro, a águia do brasão da Força Aérea sobre o fundo azul, circundado por uma coroa circular de cor dourada com a legenda «MÉRITO AERONÁUTICO» na parte superior e duas vergônteas de louro na parte inferior;
REVERSO: cruz de Cristo de braços iguais, de cor vermelha, perfilada a ouro, tendo carregada, ao centro, a passarola do padre Bartolomeu de Gusmão, dourada, sobre fundo azul, circundada por uma coroa circular com a legenda «EX MERO MOTU» e duas vergônteas de louro;
A distinção entre classes é feita da seguinte forma:
1.ª CLASSE – ouro; insignia de pescoço; ou roseta com 0,018 m na fita;
2.ª CLASSE – prata; roseta com 0,015 m na fita;
3.ª CLASSE – prata; roseta com 0,013 m na fita;
4.ª CLASSE – prata; sem roseta na fita.

OBSERVAÇÕES
É uma das primeiras 3 medalhas privativas, uma por cada ramo das Forças Armadas, criadas em 1985, e que precederam a Medalha da Cruz de São Jorge, em 2000, do Estado Maior General das Forças Armadas, e a medalha da Defesa Nacional, do Ministério da Defesa, em 2002.

BARRETAS

FONTES
– Decreto-Lei n.º 316/2002 de 27 de Dezembro – Regulamento da Medalha Militar e das Medalhas Comemorativas das Forças Armadas.
– Wikicommons

Sobre Jorge Quinta-Nova 71 artigos
Rato de biblioteca. Licenciado em Línguas e Literaturas Modernas na UAL, pesquisa desde 2007 o Exército Português nos finais do Antigo Regime, durante as Guerras Revolucionárias, principalmente Carlos Frederico Lecor, de quem anda reconhecidamente Em Busca. É um reputado amante da Medalha Militar, entre a fundação em 1863 e 1911.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*