Medalha da Rainha D. Amélia

A Medalha da Rainha D. Amélia foi criada a 23 de Dezembro de 1895 para comemorar duas campanhas específicas no Ultramar – Moçambique (1894-1895) e India (1895). Ambas as campanhas se revestiram no Portugal de então de forte popularidade, principalmente a de Moçambique, que resultou numa vitória sobre o Império de Gaza e sobre o seu soberano Gungunhana. Com o crescente envolvimento português na pacificação do seu Império, a 6 de Junho de 1896, é decidido extender a medalha a novas campanhas ultramarinas. Cada medalha teria um reverso diferente, assim como a cor interior da fita.

A 11 de Dezembro de 1902, uma terceira alteração é feita, instituindo a medalha como de campanhas gerais, com fita, anverso e reverso iguais, mas colocando-se uma passadeira para cada nova campanha. Assim permanece até que é descontinuada aquando da instauração da República em 1910.
Tem na medalha Comemorativa das Campanhas do Exército Português a sua herdeira directa, em 1916, tendo sido autorizado que se colocasse as passadeiras ganhas antes de 1910.

DESENHO
Para a medalha após 1902, servindo como medalha geral de campanhas:
ANVERSO: Éfigie da Rainha D. Amélia;
REVERSO: Legenda “CAMPANHAS DO ULTRAMAR” , com vergontea à esquerda e em baixo.

BARRAS APROVADAS PARA ESTA MEDALHA

23/11/1895 [EXPEDIÇÃO A] MOÇAMBIQUE 1894-1895 (*)
23/11/1895 [EXPEDIÇÃO À] INDIA 1895 (*)
28/8/1897 [EXPEDIÇÃO CONTRA OS] NAMARRÃES 1896 (*)
4/11/1897 [EXPEDIÇÃO À] INDIA 1896 (*)
8/11/1897 [CAMPANHA DE] TIMOR 1896 (*)
14/12/1897 [OPERAÇÕES EM] GAZA 1896 (*)
31/12/1897 [GUERRA DE] TIMOR 1895 (*)
19/1/1899 [CAMPANHA DO] HUMBE 1898 (*)
19/7/1901 [GUERRA DE] TIMOR 1900 (*)
– ZAMBEZIA 1897 (**)
– ZAMBEZIA 1898 (**)
– NYASSA 1899 (**)
11/12/1902 OIO 1902
11/12/1902 BAILUNDO 1902
11/12/1902 BARUÉ 1902
– SELLES 1902-1903
– MULONDO 1905
– CUAMATO 1907
– DEMBOS 1907
– DEMBOS 1907-1908
– GUINÉ 1908
– ANGOCHE 1910

(*) – Medalha comemorativa própria antes de 1902;
(**) – Provavelmente com medalha comemorativa própria antes de 1902.

FITAS SIMPLES (BARRETAS)

Moçambique 1895 & Geral (após 1902)
India 1894/1895
India 1896
Namarrães 1896
Timor 1896
Gaza, 1897
Timor, 1895
Humbe, 1898
Timor, 1900

Imagem
Combate de Coolela (Moçambique, 1895)


Decretos da Medalha da Rainha D. Amélia de 1896 a 1902

Decreto que regulamenta a Medalha da Rainha D. Amélia, comemorativa das campanhas em Moçambique e na India, em 1894/1895 e 1894, respetivamente (Diário do Governo, 20 de junho de 1896)

Medalha da Rainha D. Amélia, “Expedição à India, 1896”

Medalha da Rainha D. Amélia, “Expedição contra os Namarrães, 1896”

Medalha da Rainha D. Amélia, “Campanha de Timor, 1896”

 


Medalha da Rainha D. Amélia, Operações em Gaza, 1897

Medalha da Rainha D. Amélia, guerra de Timor, 1895

 


Medalha da Rainha D. Amélia, Campanha do Humbe, 1898

 


Medalha da Rainha D. Amélia, Guerra de Timor, 1900

Decreto que torna a Medalha da Rainha D. Amélia uma medalha geral de campanhas coloniais, estabelecendo uma insígnia única com uso de passadeiras para cada campanha (Diário do Governo, 29 de dezembro de 1902)

 


Três decretos que criam as passadeiras da medalha da rainha D. Amélia para as seguintes campanhas: “OIO 1902” / “BAILUNDO 1902” / “BARUÉ 1902”
Sobre Jorge Quinta-Nova 71 artigos
Rato de biblioteca. Licenciado em Línguas e Literaturas Modernas na UAL, pesquisa desde 2007 o Exército Português nos finais do Antigo Regime, durante as Guerras Revolucionárias, principalmente Carlos Frederico Lecor, de quem anda reconhecidamente Em Busca. É um reputado amante da Medalha Militar, entre a fundação em 1863 e 1911.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*